Hospital de Proximidade de Sintra

 

A Câmara Municipal de Sintra vai pagar na totalidade a construção do Hospital de Proximidade de Sintra, na zona da Cavaleira, no Algueirão, num investimento da autarquia na ordem dos 30 milhões de euros, assim como a cedência de terrenos à Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, com uma área de 60 mil metros quadrados, por um período de 50 anos, renováveis.

O acordo de colaboração foi assinado com o Ministério da Saúde e o Ministério das Finanças no dia 26 de junho de 2017, prevendo-se que as obras do hospital possam começar no decorrer do próximo ano, com conclusão prevista para 2021.

O grupo de trabalho constituído com o município definiu o programa do novo hospital, em articulação com outros equipamentos existentes.

Ficou acordado o número de camas (60) e o conjunto de valências do novo equipamento de saúde: serviço de urgência básica, consultas externas, cirurgia ambulatória, unidade de saúde mental, meios complementares de diagnóstico e terapêutica, medicina física de reabilitação, unidade de cuidados continuados e farmácia.

Quanto às especialidades, a unidade de saúde contará com anestesiologia, cardiologia, cirurgia geral, cirurgia pediátrica, cirurgia plástica e reconstrutiva e estética, gastrenterologia, medicina física e reabilitação, medicina interna, neurologia, oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia, patologia clínica, pediatria, pneumologia, psiquiatria, radiologia e urologia.

O Hospital de Proximidade de Sintra terá todos os serviços adequados aos seus utentes (todos os munícipes do concelho), prevendo inclusive um local para futura construção de um heliporto.

Ficará, ainda, preparado para ampliar a resposta quanto a novas consultas de especialidade, quanto à construção de mais dois pisos para instalação até mais 120 camas de convalescença.

Para o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, o novo Hospital de Proximidade permitirá resolver os “problemas crónicos das urgências do Hospital Fernando Fonseca” (Amadora-Sintra).

A autarquia, além dos 60 mil metros quadrados a ceder à ARS, vai assegurar, na restante área, os acessos e o enquadramento paisagístico da nova unidade.